FAP - Faculdade Paraibana

Esqueci minha senha | Como acessar

A construção do conhecimento na Fap

A celeridade com que vêm se processando as transformações, nesta primeira década do século XXI, leva as organizações sociais a buscarem estabelecer qual é o seu papel em uma sociedade que exige, cada vez mais, respostas não tão somente às suas necessidades básicas, mas que tragam em sua gênese o comprometimento em fazer acontecer o que é de sua cabal competência.

A memorável obra futurista 'Admirável Mundo Novo', de autoria de Aldous Huxley, escritor inglês - em 1931, relata uma sociedade completamente organizada, sob um sistema científico de castas, em que a servidão seria aceitável devido a doses regulares de felicidade química, ortodoxias e ideologias ministradas em cursos durante o sono. Não haveria vontade livre, abolida pelo condicionamento.

O futurismo de Huxley enseja uma reflexão sobre os caminhos da civilização humana, afinal, oito décadas se passaram, muita coisa mudou, algumas "profecias" tornaram-se realidade (é o caso da concepção de proveta, clonagem entre outras). E cabe a indagação: Como essa realidade foi possível?

Vários pensadores, pesquisadores, cientistas são unânimes e incontestes em afirmar: a nova realidade tem por base a construção do conhecimento, o que obrigatoriamente passa pela educação nas escolas, centros de ensino, faculdades e universidades, pois são estas instituições que têm pormister cultivar e transmitir o saber humano em diferentes realidades e contextos históricos, e, consequentemente, nortear as r(E)voluções, em face da capacidade criativa e inovadora dos seres humanos, que delas emanam.

Nas últimas décadas, testemunha-se o clamor mundial por educação - Empresas, Gestores, Governos e Sociedade veem na educação um dos maiores desafios da humanidade. A questão educacional não é apenas acadêmica; perpassa na atualidade pelo compromisso de todos em viver em uma sociedade mais justa e equânime.

Elemento estratégico, a educação norteia a construção da cidadania e conduz uma melhor inserção das pessoas na sociedade contemporânea, plena de grandes transformações, e, sobremaneira, tecnológicas. Sua dimensão quer em termos conceituais, quer em suas práticas, é ampla e complexa, não se restringindo, portanto, a uma compreensão linear, que apenas treina o cidadão para a empregabilidade, nem a uma visão reducionista, que objetiva simplesmente preparar o trabalhador para executar tarefas instrumentais.

O mundo vivencia processos que encerram, em seu âmago, as tensas relações entre o trabalho, o emprego, a escola e a profissão. Tais relações resultam de intrincada rede de determinações, mediações e conflitos entre diferentes esferas da sociedade, em que circulam complexos movimentos de construção e reconstrução, determinados por fatores de ordem econômico-social e político-cultural, definindo contextos em que se situam os diferentes atores sociais, demonstrando interesses diferenciados.

Outro questionamento se sobressai: Como se educar em face de uma diversidade tão notória - diferentes origens sociais, diferentes níveis de renda, diferentes valores, diferentes oportunidades, diferentes estilos e ritmos de aprendizagem?

Nesse vetor, o Instituto Paraíba de Educação e Cultura, em sua atual denominação, Faculdade Paraibana, vem se destacando em propiciar um conhecimento, cuja essência é a ética, alicerçada em princípios de solidariedade, de comprometimento e de responsabilidade para com a sociedade paraibana.

Seus principais desafios estão na própria complexidade do ato de educar, de transmitir o saber, posto não ser uma atividade com receituário prévio. Situações inesperadas, ambíguas e desiguais requerem soluções rápidas, com abordagens apropriadas, objetivas e imparciais, que são compatibilizadas em um verdadeiro trabalho em equipe de seu corpo diretivo, docente e administrativo - sustentáculo dos resultados magníficos obtidos pelos alunos, razão maior de sua missão.

E, efetivamente, hoje, uma resposta a Faculdade Paraibana (FAP) imprime, por meio de seus Alunos, Funcionários e Professores, a de fazer de cada momento um tempo único, inesquecível, a partir de esforços despendidos ao longo destes oito anos de existência, esforços que se transformam em júbilo pela certeza do objetivo alcançado e da missão cumprida com responsabilidade como cidadãos conscientes e críticos que também o são, sempre no empenho em propiciar o desenvolvimento que todos almejam.